A importância da alimentação no primeiro setênio

A importância da alimentação no primeiro setênio

A alimentação adequada e saudável na primeira infância, principalmente nos 2 primeiros anos, é extremamente importante para que a criança receba todos os nutrientes adequados para seu crescimento e desenvolvimento.

Mas não é somente a parte nutricional que conta, os bons hábitos alimentares, a relação com os alimentos e o desenvolvimento motor e oral (mastigação) são fundamentais para que a criança se torne um adulto saudável.

Por isso a introdução alimentar é a janela de oportunidade perfeita para esse começo. A introdução alimentar não é para encher a barriga do bebê, é para o bebê conhecer os alimentos. Para o bebê ter oportunidade de se desenvolver, entender que o alimento, alimenta. É a fase mais importante para apresentar texturas, cores, sabores diferentes. 

Toda base que é construída na primeira infância (os primeiros 7 anos) é levada para vida adulta, os traumas, as memórias afetivas. Quanto mais investir no cuidado da alimentação nessa fase melhor será a relação dela com os alimentos no futuro. Diminuindo o risco de doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, diminuindo a chance de seletividade alimentar, obesidade, distúrbios alimentares.

Uma criança que possui bons hábitos alimentares tem muito mais chance de se tornar um adulto com bons hábitos alimentares. 

Criar um ambiente seguro e consciente na alimentação das crianças é criar uma porta de oportunidades para um futuro mais saudável para eles. 

Como criar bons hábitos alimentares

Para mim bom hábito alimentar significa ter consciência para se alimentar. 

Quando sabemos o que estamos comendo, quando sabemos escolher os alimentos tudo fica mais fácil e consequentemente mais saudável.

Beber água todo dia e comer frutas, verduras, legumes, proteínas…. isso já sabemos que é um bom hábito!

Mas como começar? 

Muitas pessoas não possuem uma boa relação com alimentos e consomem muitos alimentos ultra processados. Seja por falta de tempo, de conhecimento ou até por já estar acostumado comer esse tipo de alimento. 

Eu sei que mudar um hábito alimentar não é fácil. Eu me alimentava muito mal e só fui começar a mudança quando engravidei. Mas foi na introdução alimentar da minha filha mais velha, hoje com 8 anos, que a mudança realmente aconteceu.

Eu não queria que minha filha tivesse os mesmos hábitos que eu, eu queria que ela se alimentasse bem, que comesse alimentos saudáveis e por ela, eu tive que mudar. Afinal, somos o exemplo. Não adianta eu querer que ela coma brócolis se eu estou comendo uma pizza. O exemplo ajuda moldar a criança.

Mas é importante saber que bons hábitos alimentares não estão associados apenas a comer bem. Bons hábitos alimentares estão relacionados a felicidade, ao prazer. Momentos agradáveis! Sendo assim, ter consciência ao se alimentar, saber fazer boas escolhas faz toda diferença. 

Aprender preparar os alimentos de várias formas ajuda muito a criar um bom hábito alimentar. Podemos não gostar de vários alimentos, mas muitas vezes a forma que preparamos eles, o tempero que usamos é uma forma positiva de mudar nosso paladar, preferências. 

Bons hábitos alimentares:

– Equilíbrio: não é necessário tirar nenhum alimento do seu cardápio, tenha consciência nas escolhas e na quantidade.

– Coma junto com outras pessoas, principalmente na introdução alimentar do bebê é importante as refeições em família para criar boas memórias afetivas.

– Insira vegetais e legumes nas refeições, perceba quais você gosta mais, qual gosta menos. Mude a forma de preparo!

– Sinta o gosto dos alimentos, coma com consciência, tranquilidade.

– Beba água!

Deixe anotado na sua agenda! Dia 09/11, quarta-feira, às 20h, você tem um encontro marcado com a gente! Um bate-papo super legal com a Érika Baldiotti, autora do livro Best Seller “Mundo BLW”. Vamos conversar sobre a importância da alimentação BLW e muito mais. Não perca!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.